Tire o pijama, vá viver a vida!

Lourival Zagonel

Tire o pijama, vá viver a vida!

“A pior dor da humanidade é a amarga solidão, expressando no rosto

o que sente o coração”

 

Tenho observado que muitas das pessoas que se aposentam caem em profunda depressão. Sentem-se acabadas, inúteis e ao invés de “curtir” o que pode lhe proporcionar a aposentadoria, se entregam à bebida, à plena ociosidade e perdem o foco de tudo o que poderia trazer alegria, prazer de viver. Alguns passam a se alimentar muito mal, e restringem sua mobilidade, com enorme repercussão neles próprios, nos familiares e amigos.

Tire o pijama, vá viver a vida! é um brado de alerta para essas pessoas. Programe viagens, inove seu guarda-roupa, planeje seu futuro (sim, você tem futuro!), invista em você, em seu companheiro/companheira. Surpreenda-se todos os dias e surpreenda as pessoas queridas. Reinvente-se. Deixe o mau humor trancado no cofre e jogue a chave fora. Viaje, viaje muito! O planeta Terra tem paraísos já descobertos e a serem explorados, eles esperam a sua visita. Pratique, sistematicamente, a simpatia, a gentileza, o gosto de viver. Faça serviços voluntários, exercícios físicos , caminhadas, alongamentos, banhos terapêuticos e alimente-se sem pressa (afinal, você, agora, é aposentado(a). Tome vinho, moderadamente, ou suco de uvas (para fortalecer o seu coração). Vá ao seu médico, ao seu dentista; faça os exames regulares anuais. Leia, vá ao cinema, ao teatro, saia de casa para jantar fora pelo menos uma noite na semana (procure estar sempre bem acompanhado).

Cuide-se, pois o primeiro e mais importante patrimônio com o qual você deve se preocupar e preservar é a sua saúde. O resto, você administra. Você não imagina o quanto isto é contagiante. Como as pessoas que estão ao seu lado vão notar e, também, querer copiar esse seu novo estilo de vida.

Se você é viúvo(a), separado(a), solteiro(a), não caia no vício da solidão. Não se torne um “ermitão” enfurnado dentro de casa. Existe, sempre, um sapato para um pé descalço. Vá à luta, alguém espera por você e anseia, também, por encontrar alguém com quem partilhar a vida. Viver sem romance, sem sexo, sem objetivo não é viver. É vegetar. Se você, que lê estas sugestões, acha que estou exagerando, é porque você não se enquadra no “tipo” que eu pretendo atingir. Não fique “agastado(a)” comigo. Meu foco é quem necessita deste “empurrãozinho”.

E se eu puder influenciar pelo menos um dos que estão lendo minha mensagem, me consider realizado. Em qualquer das hipóteses descritas acima, Tire o pijama, vá à luta, vá viver a vida!. Você merece. Você conquistou esse direito depois de muito “ralar” como dizem os jovens.

Com afetuoso e fraterno abraço,

Lourival Zagonel

 


 

javaversion1